O que se deve realmente desejar para o Ano Novo

Publicado em   31/dez/2014
por  Caio Hostilio

Porque desejar apenas não basta, é preciso fazer acontecer

Por Gisele Meter

artigo_83650Este poderia ser mais um texto politicamente chato, caso eu tentasse te convencer sobre o que você deve ou não desejar. Porém já aviso de antemão que a ideia é outra. Não pretendo de forma alguma questionar suas verdades, muito menos dar a você passos para conquistar o que quer que seja, minha intenção é te fazer um convite a reflexão e não preciso de bons argumentos para isso pois, essa época do ano já é bastante convidativa para tal.

Já é praticamente 2015 e como tantos anos, sigo sempre o mesmo ritual do qual você também provavelmente deve estar acostumado:

Perto da meia noite, uma euforia interna se instala, sentimentos como gratidão, alegria e esperança aparecem como um passe de mágica, talvez trazidos pelos fogos e pela festa que anunciam a chegada do novo ano, ainda como de costume todos brindam se abraçam e desejam um ano de muita prosperidade, amor e sucesso para os outros e para si mesmo, alguns ainda arriscam pulinhos em ondas, comidas que trazem sorte, além do tradicional traje branco para garantir a tão sonhada paz, pelo menos foi isso que sempre fiz e desejei a mim e às pessoas que passaram a virada ao meu lado.

Isto até pensar um pouco mais sobre o assunto. De fato todos esses desejos sempre foram genuínos, porém um tanto distante da realidade, o que quero dizer é que desejar apenas não basta, é preciso fazer acontecer.

Existe uma fábula árabe sobre o “Gênio da Lâmpada Maravilhosa”, que concedia a quem a detivesse a realização de três desejos. A história que tem inúmeras versões, em uma delas de adaptação chinesa, conta que o gênio não era tão bom como aquele visto no filme da Disney, mas um espírito que com astúcia e más intenções, distorcia as palavras para que os desejos não saíssem exatamente conforme as pessoas esperavam. E assim, todo pedido ao final acabava virando um grande tormento para quem o desejava.

Esta história contada desse jeito, tem por objetivo mostrar que nem tudo é tão fácil quanto parece, portanto é preciso ter cuidado com aquilo que se deseja e mais ainda, vigiar também a ambição que cega e toma conta dos pensamentos quando surgem oportunidades que parecem ser “um negócio da China”, não permitindo que se pense racionalmente sobre o assunto.

Assim também acontece com aquilo que desejamos. Volto a dizer, desejar apenas não basta é preciso fazer acontecer. De nada adianta querer dinheiro, sucesso e prosperidade se você não toma atitudes para que isso aconteça.

Pouco resolve ter esperanças de um bom ano, se você não fez nada para que o ano realmente começasse bem, desse jeito, o máximo que se consegue é uma tremenda frustração por não realizar aquilo que foi almejado e é por isso que muita gente acaba se sentindo um fracasso por não conseguir cumprir as tais listas de metas anuais, pura e simplesmente por falta de atitude.

Não estou aqui para condenar o sucesso e nem dizer que não se deve querer prosperidade e dinheiro, muito pelo contrário! Acredito que tudo isso é o objetivo final, como o grande prêmio por merecimento de algo que foi construído passo a passo, mas para que isso aconteça é preciso saber que antes do sucesso vem o trabalho acompanhado de planejamento, estratégia e ações efetivas.

Por isso acredito que o que devemos realmente desejar para o próximo ano é discernimento, autopercepção e lucidez para saber em que fase do caminho se está e o que deve ser feito para tornar realidade aquilo que de fato desejamos – Sonhar é preciso, ter esperança de um ano melhor também, mas saiba que entre o fazer e o acontecer existe um caminho que precisa ser cuidadosamente trilhado pois bem sabemos, não existe almoço grátis e nem gênio da lâmpada mágica, ainda bem.

Compartilhe :

*/?>

  Publicado em: Governo

Deixe uma resposta

Contatos

hostiliocaio@hotmail.com

Assine o Blog

By signing up, you agree to our Terms of Service and Privacy Policy.

Publicidade

Busca no Blog